Faculdade de artes: vale a pena?

Gostaria de começar indo direto ao ponto: sim, eu recomendo fazer faculdade de artes.

Agora vamos aos prós e contras.

Há muitas profissões que ninguém pode exercer sem ter feito faculdade: médico, advogado, engenheiro, dentista, psicólogo, veterinário etc. E há outras que se pode sim exercer sem ter feito faculdade. Artista é uma delas.

Não sei como é nas principais universidades do seu estado, mas muitas costumam aplicar uma prova de habilidades específicas como forma de ingresso. Só o vestibular ou ENEM não é o bastante. Ou seja, há uma exigência de que você já entre sabendo, o que significa que não é lá que você vai aprender a desenhar, pintar, esculpir, atuar, tocar instrumento, dançar ou ser criativo/a. Isso você pode aprender sozinho ou em cursos.

Também é importante destacar que você não terá aulas de cinema com o Spielberg, por exemplo. Seus professores terão no máximo uma produtora pequena, de alcance local e com algumas conquistas de festivais medianos no currículo. Quem é realmente bem sucedido no ofício, não está dando aula – mas pode ser que tais artistas bem sucedidos talvez não sirvam para ensinar.

Então quais as vantagens?

Vantagem número 1: Referências

Numa faculdade de artes, você aprende história da arte. Vai conhecer e se aprofundar em obras das quais nunca ouviu falar, ou cujas camadas só conhecia superficialmente.

Não importa quão habilidoso/a você seja naquilo que faz, é ampliando seus conhecimentos que irá ousar, testar técnicas e conceitos diferentes. Isso te permitirá crescer e evoluir enquanto artista.

Você pode até conhecer os principais e mais importantes movimentos de ruptura e vanguarda, mas na faculdade se aprende a compreender as mentalidades por trás deles, os contextos históricos e sociais que influenciaram suas motivações, o que te torna uma pessoa mais consciente e crítica da própria realidade e contexto sociocultural.

Vantagem número 2: Conhecimento teórico

Sabia que existem movimentos de ruptura e experimentação na sua área acontecendo nesse exato momento? Não vão te ensinar isso num curso de desenho, na sua escola de teatro ou estúdio de dança.

Você pode até não concordar nem apreciar as mudanças propostas, mas precisa conhecê-las. Precisa entendê-las, pois são consequências de como a sociedade tem se relacionado com a arte em vários aspectos.

Isso exige um aprofundamento nas leituras teóricas sobre as artes. Trata-se de uma maneira de conhecer arte na perspectiva de filósofos, sociólogos, historiadores, psicólogos etc. Não é fácil, o linguajar costuma ostentar academicismo, mas é enriquecedor.

Vantagem número 3: Círculo de convivência

É bastante acolhedora a ideia de estar entre pessoas que partilham dos seus sonhos, angústias, medos e conhecimentos. Ninguém ali vai tentar te incentivar a largar essa “besteira sem futuro” e prestar um concurso público.

Além disso, você pode ler toneladas de livros sobre história e teorias da arte, mas o que potencializa de verdade o conhecimento é o debate, a troca de ideias, compreender a leitura que outras pessoas fizeram dos mesmos textos que você e aprender com a diversidade de pontos de vista. Esse é um dos grandes valores das faculdades de ciências humanas como um todo.

Conhecimento não se acumula, se troca.

E agora vamos tratar dos pontos negativos, ou não tão positivos assim.

Desvantagem número 1: Não garante uma carreira estável

Na verdade, fazer faculdade de artes não oferece é garantia nenhuma de carreira. Você não vai frequentá-la para se tornar um artista, mas sim para aprender sobre arte. Não é a mesma coisa.

Durante os quatro anos na universidade, você não necessariamente estará em contato com profissionais, e sim com acadêmicos, tanto na sala de aula quanto nos congressos, simpósios e palestras que participar.

Se o curso for de licenciatura, seu estágio no quarto ano será em uma escola e você vai dar aula. Buscar fazer contatos com profissionais artistas, que realmente fazem do ofício uma forma de sustento, será uma missão quase completamente autônoma e solitária.

Desvantagem número 2: Influências negativas

Seu círculo de convivência pode ser tanto uma vantagem quanto uma desvantagem, o que dependerá tanto das suas escolhas quanto da sorte. Na maioria das universidades, o ingresso nos cursos de artes é pouco concorrido, por isso se considera “fácil” de passar.

Consequentemente, vai haver na sua turma alguma quantidade média ou baixa de pessoas que não gostariam tanto de estar ali, outras que aos poucos vão perdendo o interesse e, no fim das contas, sobrarão poucas realmente interessadas na troca de conhecimentos e experiências.

Outro tipo de influência negativa vem daquelas pessoas que estão sempre dando desculpas e justificativas para não enfrentarem os obstáculos da carreira. Vão somente reclamar do governo. Nesse sentido, não estarão erradas, mas perderão a oportunidade de acertar quando criticarem e descartarem outras alternativas sem nem tentar.

E essa mentalidade pode acabar influenciando seus planos e te levar a cometer autossabotagem.

Também é muito importante diversificar o seu currículo: faça disciplinas como ouvinte nos cursos de administração, economia, ciências sociais, marketing, tudo aquilo que tiver relevância para o crescimento da sua carreira. Aprenda a montar estratégias de vendas, divulgação, elaborar planilhas etc. Não seja uma batata.

Desvantagem número 3: A bolha

As universidades são extremamente necessárias para a humanidade e tem sido, sem dúvida alguma, um sucesso absoluto em produção científica e de conhecimento. Porém, há de se reconhecer que, ao menos no Brasil, o ensino superior é um fracasso em se comunicar com o restante da sociedade.

Doa a quem doer.

Quem estará presente nos congressos, simpósios e palestras promovidos pela universidade? Somente universitários.

Quem lê os artigos de revistas acadêmicas, projetos de iniciação científica e extensão, TCC’s, teses e dissertações? Somente universitários.

Isso significa que os projetos e trabalhos que você desenvolver pela faculdade não terão um bom alcance – e se tiver, seus colegas e professores irão te massacrar –, afinal a porcentagem de pessoas que fazem ou já fizeram faculdade no Brasil é extremamente baixa.

A universidade é uma bolha e isso precisa mudar.

Conclusão: Não é somente na universidade que está todo o conhecimento que você precisa para ser artista. É uma opção muito enriquecedora – em termos de cultura e intelectualidade –, mas não a única. Um diploma de curso de artes só é necessário caso você queira uma cela especial (mas a melhor opção continua sendo não cometer crimes) ou dar aula de artes em escolas e universidades (para a maioria das universidades públicas, é pré-requisito ter mestrado ou doutorado para dar aula).

São pontos muito importantes a serem analisados. Avalie-os com senso de responsabilidade.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s